Programa de Formação Profissional (PFP)

Por que?

Os moradores de comunidades de baixa renda são majoritariamente autônomos ou subempregados. Nesse sentido, atuamos para que esta população se torne apta a competir por empregos de maior remuneração no mercado de eletrotécnica e de energia solar, líder na geração de empregos entre as fontes renováveis (IRENA). Além do impacto direto com a geração de emprego e renda locais, o PFP habilita equipes na comunidade para instalar e fazer a manutenção dos sistemas (que duram pelo menos 25 anos), garantindo resiliência, autonomia e engajamento da população local, e, assim, aumentando as chances de sucesso dos projetos.

Como?

Por meio de uma equipe de voluntariado e parcerias. Uma parte das aulas é oferecida na comunidade, outra em escolas técnicas parceiras e há também as que ocorrem virtualmente.  O programa forma moradores de comunidades de baixa renda a partir do oferecimento de cursos profissionalizantes e do desenvolvimento de competências profissionais e socioemocionais.

Qual o impacto?

A formação profissional promove o protagonismo e autonomia da comunidade e de seus moradores no projeto, além de facilitar a inserção no mercado de trabalho e gerar novos empregos locais de qualidade. A contribuição dos moradores capacitados é muito relevante para o trabalho da Revolusolar, tanto para as instalações solares quanto para uma atuação ágil em caso de problemas, diminuindo as perdas técnicas e econômicas. Além disso, ao dominarem os aspectos técnicos dos projetos implantados, estes moradores podem transmitir esses conhecimentos para seus filhos e filhas – seja diretamente no dia a dia familiar ou realizando demonstrações nas oficinas de Educação Infantojuvenil promovidas pelo PEC, potencializando assim a apropriação de conhecimento sobre energia solar no público infantojuvenil.

ODS relacionados

Participe dessa Revolução Solar

Ajude a impulsionar no Brasil uma transição energética justa!

Resultados

52 formados

no Programa de Formação Profissional até junho/2023

Cerca de 30% dos alunos conseguem atuar em pelo menos uma atividade remunerada na área elétrica ou fotovoltaica nos primeiros meses após a formatura.
Em 2022, 57% dos alunos formados no PFP (BCM e Circo) realizaram algum serviço remunerado na área fotovoltaica ou elétrica. A geração de renda média pelas contratações é de R$1.750.
plugins premium WordPress